Quantos andam por aqui?

6 de novembro de 2008

Quando for grande...

"Quando for grande quero ter filhos, um marido e uma casa grande"
É com isto com que todas as raparigas sonham quando são crianças e não só. Imaginam o dia do casamento com o rapaz perfeito (não lhe vêem a cara mas sabem que lá está), uma casa grande cheia de crianças a correrem de um lado para o outro a brincarem, a preparem o almoço para a família aos domingos e irem sussurrar "boa noite" às crianças. Gostava tanto de pensar assim também, mas não me consigo mentalizar disso. Não está na minha personalidade ficar presa às pessoas, eu preciso do meu espaço e da minha liberdade. Sei que parece egoísta pensar assim e se calhar até o é, mas é assim que eu penso. Talvez eu pense assim porque já ouvi tantas vezes as palavras "se soubesse que iria ser assim...". Construir uma família é um assunto sério e delicado, e por isso acho que nunca vou conseguir lidar com ele.
Já me imaginei a entrar em casa e abraçar os meu filhos ou entrar na igreja com um vestido branco, mas agora é tudo um sonho e nada mais. Por vezes fico triste por pensar assim porque gostava de me imaginar com uma família grande e a vida perfeita. Mas acho que eu não iria conseguir fazer isso, acho que não iria desempenhas bem o meu papel.
Mas isto é o que eu penso agora, muita coisa pode mudar (e vai mudar) até lá...

3 comentários:

Anónimo disse...

n tenhas duvidas que vai mudar!

ainda es nova, e nada e certo nesta vida....tu nao sabes se vais desemapenhar bem esse papel porque nunca passaste por isso..isso e um receio que todas as raparigas teem!

ate la, vive a vida...so ha 1! e tudo tem o seu tempo..(axu k ja ouvi isto em algum lado! =p)

Buh! disse...

eu tbm nao me vejo agora ou num futuro proximo a ter filhos e uma vida de casada...primeiro quero gozar a minha liberdade, aprender a olhar o mundo à minha volta...mas nao pode ser sempre assim...tbm vou querer assentar...ter um lar seguro com uma familia..

Inês disse...

beemm não posso deixar de comentar este post com um inicio dedicado e...amavel? (adoro a palavra amavel)

Ora...

Minha querida Daniela,

Acredita que te vejo tal e qual como és agora (doida, ideias de artista, meio parva, meio séria, expressiva, riso que enfim (tu sabes...aqueles sons não perdoam!)) mas casada e com filhos e uma casa que grande ou não é perfeita.
Começamos com as primeiras ideias de negação, por medo e por acharmos que pateticamente não nos conseguimos adaptar a coisas que aparentam ser tão fáceis e que no fim são uma bola de problemas, nós e nós e emaranhados de coisas por resolver...
O que se passa é que a geração para a qual olhamos (e dou como exemplo os nossos queridos pais...já falamos muito sobre eles não é dani?) pertencem a uma geração de crise..e nós não minha querida somos pessoas mais que formadas para reflectir sobre os assuntos (somos a geração blog possa!) e tenho a certeza basta aparecer o homem certo em tudo o que um homem pode ser para ti e aí sim te vais imaginar casada e com filhos e casas e ferias no algarve e fins de semana na terrinha e fotos e videos e caixas de recordações...

muitos beijinhos* qlq dia tamos nós a tomar chá e a falar da vida
ai ai