Quantos andam por aqui?

13 de fevereiro de 2015

Do coração. XVI

Não consigo escrever nada decente sobre ti porque as mãos tremem-me demasiado e as lágrimas não me deixam ver as letras. Eu ia dizer que é triste quando se tem de dizer adeus a alguém como tu, até que me apercebi que triste não é o sentimento. É desolador. É chorar e sentir o vazio. É chorar e a imagem que me vem à cabeça é o teu sorriso hoje. É chorar e lembrar-me da tua voz. Sou fraca e odeio-me por gostar tanto de ti.