Quantos andam por aqui?

14 de novembro de 2010

"Grita. Exprime-te! Ia-te fazer bem"

Voltei a ler o texto que escrevi no dia em que os meus pais se separaram. Não o lia à bastante tempo. Ainda bem. Passaram-se três meses. Para mim é como se tivesse sido ontem. Lembro-me bem demais de tudo. As coisas continuam na mesma. Pouco ou nada mudaram. Dei por mim a pensar que eu já tinha este assunto bem digerido, que já pouco me afectava. Grande mentira D*, grande mentira. À uns dias tive de ficar na faculdade a acabar um trabalho. Eu já desesperava. Foram 14 horas ali dentro. Até que falei com a minha mãe ao telemóvel. Desmoronou-se tudo. Ouvir a voz dela foi como se tivesse a cortar o coração aos bocadinhos. Eu sabia que ia chegar a casa quase às 11 da noite e ia ter tudo como deixei. Sabia que não ia haver jantar à minha espera. Sabia que a minha cama ainda ia estar por arrumar. Sabia que não ia haver ninguém para me perguntar como é que o trabalho me correu. Sabia que o meu pai não se ia interessar muito. Chorei, pela primeira vez em muito tempo, à frente de uma pessoa. É horrível. Eu não consigo descrever o que sinto. As palavras saem-me aos bocadinhos. Saudades. Mentira. Confusão. Nojo, Nada parece fazer sentido. Isto deixa-me diferente. Faz com que eu acabe a tratar mal as pessoas. Faz-me fazer cara de má. Faz com que eu deixe de ser a rapariga dos cupcakes e dos lacinhos e passe a ser aquela pessoa que nunca ninguém viu. Eu tenho medo de ser assim. Não gosto que as pessoas fiquem a pensar que eu estou zangada com elas. Não estou! É muito complicado gerir as emoções todas. É complicado estar comigo nessas alturas. Eu sei.

5 comentários:

Tereza disse...

FORÇA D*!
As coisas vão melhorar.
Se precisares de desabafar, conta comigo!
Beijinho.

Borboleta disse...

Imagino o que estás a passar, os meus divorciaram-se à três anos. Ainda hoje há zangas por coisas mal resolvidas no passado. É sempre complicado, mas acredita, um dia não vais-te sentir tão mal por causa disso. Eles continuam a gostar de ti. É muito complicado mas tudo vai ficar bem!

Alexandre disse...

Compreendo-te perfeitamente! Como disseste e bem, é difícil gerir essas emoções todas!
E acredito que sejam bastantes e surgem ao mesmo tempo!
Forçaaa! :)

IM disse...

so te posso desejar força numa altura cmo esta!***

Maggy disse...

O apoio maternal é indispensável, é o primeiro a que recorremos e o primeiro de quem sentimos falta...:( compreendo...