Quantos andam por aqui?

1 de novembro de 2010

E depois acaba como eu

O meu pai estava agora aqui a falar da minha irmã. E porque ela não deve conseguir manter as boas notas, porque agora só pensa em rapazes, e porque está a perder o interesse na escola... coisas assim, percebem? Até que ele disse a cereja em cima do bolo "Ela não vai conseguir chegar aos teus calcanhares", isto no que diz respeito aos estudo, é claro. Sim, sou a primeira da família a entrar na faculdade; nunca chumbei; tenho notas mais ou menos razoáveis. É tudo muito bonito. Mas ele, e todos os outros, esquecem-se de uma coisa: eu não tenho vida p-e-s-s-o-a-l. Não sei o que é ter isso! Sei sim, o que é ter sempre alguém a perguntar-me para ir sair e eu ter de responder "Não posso, tenho coisas para fazer" ou "Tenho trabalhos para acabar" ou "Para a semana tenho trabalhos para entregar". Também sei o que é dispensar fins de semana em família, porque tenho de ficar em casa a estudar. Ou passar o fim de semana fora, mas não sair de casa, porque tenho de estar agarrada ao computador a trabalhar. E depois ainda há quem diga que eu estou a exagerar. Estou? Esta semana a minha mãe era para vir ter comigo para passarmos o dia juntas. "Não posso", foi o que eu lhe disse, "Tenho 3 trabalhos para entregar para a semana". E a resposta vai ser a mesma quando ela  me perguntar se eu quero ir passar o fim de semana com ela e com a minha irmã. Até de meras horas com a minha mãe que não vejo à quase um mês e meio já sou privada!


"Sou uma triste" disse agora ao meu pai. É assim que eu me sinto.

7 comentários:

Flor disse...

Infelizmente passo o mesmo que tu, não tenho vida social. Sim, tenho uma actividade extra faculdade mas é quase uma obrigação. Já não sei o que é ir ao cinema, passear a tarde toda por um jardim, conhecer sítios diferentes. Tudo por causa da faculdade: ou tenho que estudar ou tenho que fazer relatórios.

Mas não estou aqui para falar de mim...

Sabes, eu acho que um dia vamos ser recompensadas por tudo isto. É a minha força.

Beijinhos

Jo. disse...

e se fores raptada para uma tarde de fotografia? nao podes fazer nada contra isso porque ias ser ameaçada e pagar com a propria vida, ias ter de fazer o que o raptor dissesse...

Anira the Cat disse...

Tudo o que se torna obssessivo é mau. Acho que fazias bem em tirar pelo menos uma tarde por semana para te dedicares a coisas que gostes. Podes pensar que é desperdício de tempo, mas é essencial para o teu equilíbrio...

Bjokas

lau' disse...

tem calma... vais ver que depois es recompensada pelo teu esforço, e pode tanbem tentar consiliar a tua vida escolhar com a tua vida pessoal... ha sempre um bocado de tempo para tudo, o necessario para isso é apenas organização ;) vais conseguir...forÇa miSs :)

Tereza disse...

como eu te compreendo...
não és "uma triste", não penses assim! o esforço compensa.
(mesmo quando não parece).
beijinho.

maria teresa disse...

Há alturas da nossa vida que temos que fazer opções e estas de agora não são nada, comparadas com as que lhe vão surgir...
Nunca ninguém disse que viver é fácil! Mas uma coisa é certa, mesmo com todos os obstáculos a VIDA, VIVER é MARAVILHOSO!!!
Abracinho meu

PauloMitchell disse...

Não te sintas triste. Quem me dera ser como tu! Estou a falar a sério, até porque quando começamos a criar uma vida própria que não se limite a livros e estudo dá-nos cabo de tudo. As notas caem, os trabalhos ficam confusos e a mente demasiado ocupada.

No entanto, não troco esta confusão e a pressão para tirar boas notas por nada!

E além disso eu sou demasiado preocupado com o futuro, o que me faz não aproveitar o presente.. Já tu me pareces que aproveitas bem e o bom é que no futuro vais olhar para trás e se pudesses voltar - farias tudo de novo.