Quantos andam por aqui?

10 de outubro de 2009

Bla bla bla bla bla

Sabem aqueles dias em que falam falam falam e ainda falam mais um bocadinho? Eu hoje estou assim. Eu não sei como é que as pessoas ainda falam comigo (ah que remédio) visto que estou uma chata do pior. Elas querem ir embora e eu lembro-me de mais uma coisa e falo isso e ainda mais. Nestes dias tenho tido tendência para pôr o meu apelido (que é Graça) a trabalhar com mais afinco... é trabalhar enquanto pode. Não sei, mas sinto necessidade de falar. Pode não ser nada de especial (quase nunca o é) mas como as coisas na minha cabeça andam como se fossem serpentinas (todas baralhadas e de pernas para o ar), uma forma de descontrair é dizer estas coisas. Eu já não me importo com o que as pessoas pensam de mim. Se a opinião delas já não era boa e eu importava-me só um bocadinho, então agora nem quero saber. Ah agora lembrei-me de uma coisa que me aconteceu na Pimkie do CascaiShopping! Uma coisa que eu me divirto a fazer com a minha mãe é a tentar adivinhar os preços das coisas, então estavamos a olhar para um casaco e eu disse um preço ao calhas e não é que acertei? E como forma de expressar tamanha (?) alegria eu disse "Eh pa sou mesmo boua", e quando disse isto não é que uma senhora me olhou de cima a baixo a achar-se superior? Oh pessoas, vivam e deixem viver!

Voltanto ao assunto inicial (qual assunto?) qualquer dia não me impressiono se os meus pais puserem um anúncio no jornal a dizer "Vendo filha. Apenas 17 anos de uso, está quase como nova. Levanta-se sempre a horas, não é esquisita com o comer, apenas não gosta de qualquer tipo de peixe, canja e galinha. Não é pedinchas, mas quando pede pede, mas sabe aceitar um não (o que não é sinal de que não continue a pedir). Devido à sua falta de visão acentuada todos os anos precisa de uma revisão, ou seja é uma armação nova todos os Natais. Tudo o que suja limpa, excluindo a secretária... essa costuma estar sempre cheia de tintas, que não saem nem com um borrifador apontado. Não é teimosa nem chata. Dá-se recompensa (a estipular)". É, qualquer dia é assim. E porque é que eu digo isto? "Mãããããe sábado vais pôr-me ao CascaiShopping às 6 da manhã para eu ser das primeiras a comprar o bilhete para os U2, pode ser?". Nestes segundos tive a mãe e o pai a olharem para mim e a pensarem "17 anos a criar uma criatura para isto", juro que se eu lesse mentes era isto que lia. Ah mas o que me conforta é que estou a criar uma mini D*, o que quer dizer que quando eu sair de casa a minha irmã vai continuar o meu legado! Muahahahahah (riso maléfico).

7 comentários:

Caroline Farias disse...

Eu tenho esses dias te fala muuuuuito aliás são quase todos os dias! Não sei como ainda falam comigo e se interessam com meus assuntos!

beijo ;*

tanya disse...

É tão bom podermos falar e dizer tudo o que nos vai na alma e ainda por cima, ter quem nos ouça, sim realmente és mesmo boua!!! heheheheh

ADEK disse...

Falar é bom, ouvir também, por isso qual é o problema?:P*

japanese lollipop disse...

Acho que todos nós temos esse 'q' de chatos. É normal e divertido, acho.

Asiram disse...

looooool, tou a ver k és tipo eu uma tresloucadixima de primeira...mas desde que continues a gostar de ti assim e continues a cagar no k os outros pensem vais ser feliz....eheheheheheh

Rosie Dunne disse...

ahaah eu cá tambem sou uma grande chata! :)

J. disse...

Soltei valente gargalhada ao ler este post, principalmente na suposta descrição dos teus pais e na criação da mini D*! :D