Quantos andam por aqui?

9 de julho de 2009

É possível odiar uma pessoa sem a conhecer? É que se o é posso dizer que estou a começar a odiar uma... Neste momento estou tudo o que é possível estar: cansada, triste, enjoada, enojada (como eu odeio esta palavra), revoltada, desapontada e muitas mais coisas que não sei descrever agora. Como é que é possível? Quanto mais nós pensamos que conhecemos as pessoas mais elas nos surpreendem. Passamos o tempo todo em cima de um tapete mas de repente algo surge e o tapete é-nos tirado debaixo dos pés de repente e nós ficamos desorientados com a mudança repentina. Eu fui parva! Devia ter deixado tudo como estava mas não, a Daniela nunca sabe quando parar, foi a curiosidade a falar mais alto "bem feita!". A sério não compreendo... a culpa entre 2 pessoas é sempre só de uma ou das duas? Ai a minha cabeça! Porque é que eu tive aquela ideia? A sério, expliquem-me! E com tudo o que se passou ainda estou com mais uma ideia na cabeça, mas estou a tentar resistir... mas eu sei que vai ser mais forte que eu. Em tempos fui apologista da mudança "mudar é bom" o tanas! Com a mudança vem sempre a evolução e quando a mentalidade evolui nem sempre é para o bem... É com estas coisas que cada vez me mentalizo mais que não quero compromissos, nada disso. Oh bolas, isto é como quando se vai às compras e se deixar cair qualquer coisa da prateleira: nunca cai só uma coisa, vem tudo atrás. É impossível ter uma mente aberta e receptiva a novas experiências quando coisas assim acontecem. Ela queixa-se dele, ele dela, o outro queixa-se deles, a outra deles, eu queixo-me deles todos! Porque é que as pessoas quando assumem qualquer coisa não o cumprem? Gostava de saber porque é que o passar os limites é tão tentador à raça humana, o levar o outro ao limite, a desobedecer a si mesmo, a magoar os outros... Neste momento passei da raiva à tristeza. "O que é que tens?" eu? nada, estou mal disposta. Sempre menti mal, sei que o faço pessimamente mal (a minha voz muda, fica trémula...parva!) mas mesmo assim insisto. Estou com uma vontade gigante de começar aos berros e dizer que está tudo mal, que nada devia ser assim. Estou a dar em maluca. Agora cada vez que penso no assunto vêm-me à cabeça um turbilhão de imagens e conversas boas e más ao mesmo tempo o que faz com que tudo se complique ainda mais. Hoje reparei que quando estou assim (resumo tudo a um nó no estômago e a um mau estar físico, mas sobretudo psicológico) começo a "atingir" as coisas que mais gosto, resultado disso foi hoje apagar mais de 100 fotografias... Enquanto as apagava só pensava "porque é que tudo não é assim? apagam-se as coisas más e ficam as boas". Estou mesmo a ver que por este caminho fico sem fotografias (e sem auto-controlo). Imagino-me a fazer coisas estúpidas, estou farta destes pensamentos! Começo a não me conhecer, já penso coisas que até à pouco tempo não pensava, a dizer coisas que nunca sonhei que iria dizer, e sobretudo a fazer coisas muito estúpidas. Quando a minha tia hoje me perguntou "Daniela queres vir com a tia?" eu não devia ter respondido "não não, vou ficar em casa a preparar as coisas para amanhã" porque é que eu não respondi "claro, espera só um bocadinho, já venho"? A sério, porquê? Ou porque é que eu tenho a tamanha necessidade de entrar em campo que não conheço? Porque é que eu sou assim? Porcaria para o signo, para o nome, para a personalidade, para o feitio, para tudo, estou farta de tudo!

3 comentários:

Jo. disse...

os pais sao bichos estranhos...


mas lá pq a relação deles corre mal nao quer dizer q tu nao possas ter uma relação com alguem. estás a partir do principio q vai correr mal por isso claro q vai correr mal. as pessoas nao sao iguais e cada uma resolve os seus conflitos de forma diferente: há pessoas q partem logo para a discussao pela minima coisa e há outras q preferem nao discutir e resolver as coisas de forma pacifica. discutir faz bem, gritar é q perturba. pelo menos agora ja fazes uma pequena ideia do q mata uma relaçao e isso deves usar quando tiveres uma relaçao.

J. disse...

É sempre um pouco cliché dizer isto, mas só passando por certas coisas é que aprendemos e percebemos o que queremos ou não para nós.

Faz parte. É horrível quando acontece? Sem dúvida. E vais ver que com o tempo vais querer ter uma relação na mesma, tem é de ser a certa :)

Artamidae disse...

de facto, julgo que é possível odiar uma pessoa sem a conhecer.
acho que é um desperdício de tempo mas às vezes é inevitável.
não te culpes.
tudo acontece por um propósito e estamos sempre a aprender!
(no meu caso, continuo a repetir os mesmo erros à anos mas pronto... haja esperança!)