Quantos andam por aqui?

1 de outubro de 2008

Modelos da caixa com vidro

É estranho e parvo o que hoje em dia nos é exigido. Para sermos bem aceites temos de ser iguais às pessoas que aparecem na televisão. São sempre bonitas: quer estejam a chorar, a rir, a correr ou até mesmo quando acordam. São altas, bem constituidas, inteligentes [parece que não dão valor a isso], sociáveis... Só coisas boas. Hoje namoram com uma pessoa porque estão perdidamente apaixonhados, querem ficar com a sua cara metade para sempre. Mas se for preciso no dia seguinte já odeiam essa pessoa e já estão de queixo caído por outra. Não! Não é isto que se passa hoje em dia.
Mas parece que os jovens, fora dessa caixa com um vidro, querem agir assim. Discriminam quem não é magro como eles, põem de parte quem não namora, falam mal nas costas das pessoas... Sinceramente, é com estas pessoas que o país vai evoluir? Eles mal sabem o que se passa na escola, quanto mais arranjarem um emprego decente e tentar fazer com que o nosso país ande para a frente.
Falo assim porque conheço pessoas assim, e isto perturba-me. Já fui maltratada por não ser magra, por saber mais que outras pessoas, por ter quem me protegesse e uma lista interminável de coisas. Doí... muito mesmo.
Agora que já passei essa fase, vejo isso tudo na televisão e isso faz com que se transmita no mundo exterior. Por amor da santa! Não basta sermos nós mesmos? Para sermos aceites temos de ser todos iguais? Temos de agir da mesmo forma, ter os mesmo gostos, os mesmo hobbies?
Não!

2 comentários:

Buh! disse...

o problema está em q cada vez mais as pessoas não sao elas proprias..

Buh! disse...

oohh o teu relogio é mesmo cutchi