Quantos andam por aqui?

22 de novembro de 2009

Amizades

A minha mãe diz que eu não sou muito pegada às pessoas (não sou um ser humano frio nem anti-social, ok?). Ela acha que eu não tenho muitos amigos "daqueles", daqueles em quem dá para confiar a alma e tudo o que for preciso. Pois é, aqui a D* custa a dar-se a revelar, para saberem coisas de mim têm de "penar" muito, mas quando lá chegam podem saber tudo o que quiserem. A minha explicação para o que a minha mãe diz é muito simples: as pessoas desiludem-me. Eu já fui amiga de muita gente, boa gente aliás, mas chega a altura em que... Até uma altura fala-se de tudo, planeia-se este mundo e o outro, mas... Percebem? São muitos que's e muitos se's.

Eu cá tenho 1 pessoa em quem confio plenamente, pena essa pessoa estar em Inglaterra. Mas não é por isso que eu não confio menos nela, muito pelo contrário, é por essa razão que eu tenho mais confiança na C* (ela não é a minha melhor amiga... é quase uma 2ª irmã para mim!). Ela conhece-me melhor que muita gente que está comigo todos os dias. Ainda na 5ª feira recebi uma carta (inesperada) dela, e o meu coraçãozinho batia no meu peito com toda a força que tinha, imaginem a minha alegria! Eu não queria essa alegria todos os dias, porque quando mais tivesse mais queria e iria chegar a um ponto em que não dava mais...

A outra pessoa em quem confio é na R*. Das últimas vezes que falámos eu baixei completamente a guarda, pus a máscara da rapariga de ferro de lado, e ali estava eu... Não me canso de falar com ela por isso mesmo! Dá para falar. Não é aquela conversa de "treta" sobre filmes, séries, fofoquices... é conversa!

E a juntar a tudo isto vem o tempo. Uma coisa que andar na escola tem é que convivemos 3/4 anos com as mesmas pessoas e tudo parece maravilhoso e tal, mas e depois? Vêm as escolas separadas, novas amizades (às vezes melhores), novos interesses... vem tudo isso e o passado às vezes torna-se mesmo nisso: passado. O que resta apenas são os momentos.

Eu pensei que iria sofrer muito mais com esta coisa da mudança de ares... pensei apenas.



Foto DAQUI

17 comentários:

Galo disse...

Ninguém tem muitos amigos "daqueles". O que as pessoas têm é muitos amigos "dos outros", amigos de ocasião, amigos que quando eu era rapaz se chamavam "conhecidos e de fresca data".
Poucas pessoas estão disponíveis para serem amigos "daqueles" que dão o ombro quando o amigo precisa de chorar, porque o ser humano está a perder a capacidade de viver em "matilha", capacidade apurada com a necessidade de protecção, que só o grupo pode dar.
Hoje fechamo-nos em casa, porque em casa temos várias janelas para o mundo. O que temos cada vez menos é janelas para o coração dos outros. Estamos fechados sobre nós próprios, incapazes de dar ou receber carinho, amor, amizade... porque hoje tudo é virtual.

Bjs.

ADEK disse...

D*zinha, querida: conversas sobre filmes ou séries não são "da treta", ora:X eheheh Compreendo-te:D Anyway, amigos, devem ser poucos mas bons!* Beijinho*

Alexandre disse...

Não é preciso ter muitos amigos para sermos felizes. Poucos, mas bons!
Beijinhos

Lia disse...

os amigos são para ser em qualidade, não em quantidade!

Girl in the Clouds disse...

Nos amigos temos que confiar!! Podemos ter muitos conhecidos, amigos são poucos!!

Anuska disse...

Confesso que também sou um pouco assim, mas não me chateio muito por causa disso. Gosto de estar sozinha e quando quero ou preciso de companhia os verdadeiros amigos não falham, são poucos mas estão sempre lá.

Plagiator ;D* disse...

interrail

Artamidae disse...

"as pessoas desiludem-me". comigo acontece o mesmo... e também não sou muito dada a falar sobre mim.
é bom ter pelo menos uma pessoa em quem confiámos!
as voltas que a vida dá têm sempre um propósito e "o passado torna-se mesmo nisso: passado."

tanya disse...

Não podia deixar de concordar mais com tudo o que já foi dito, amigos "daqueles" poucos mas bons!

Beijinhos*

Asiram disse...

a definição amigo é muito difcil definir, porque amigo tem que ser aquela pessoa que está disposta a fazer tudo por nós e não só....por acaso ainda hoje tive a falar dessa palavra a um grande amigo meu....



bjux

p.s eu tenho poucas pessoas que considero amigo mas dessas poucas são mesmo grandes amigos e para a vida!!!

*C*inderela disse...

Sou como tu, depois de tantas desilusões não me dou logo a conhecer, só quando ganhar a confiança das pessoas. Amigos, amigos só tenho poucos, o resto é mais conhecidos.

maria teresa disse...

Sabe o que lhe está a acontecer?
Está a "crescer" como pessoa adulta.
Bj

IM disse...

e são os "daqueles" que interessam! há muita gente que nos faz rir, que se diverte conosco e que até nos marcou para a vida mas os verdadeiros amigos são resistentes ao tempo e à distância e a tudoo! :)
*

japanese lollipop disse...

Tão bonito o que escreveste, mesmo :)
Beijinho*

Jo. disse...

seria chato (chato nao...pouco variado) se tivessemos os mesmos amigos desde que entrámos na escola. as pessoas entram e saiem, pelas mais diversas razões, o q nao quer dizer q se esqueçam, q deixem de gostar, q nao sintam saudade. mas faz parte de toda a gente. as pessoas mudam, muitas vezes sem saberem q mudaram e nem sempre isso é bom, nem sempre quem está do outro lado gosta. as pessoas deixam de conviver diariamente e provavelmente se eu te contasse historias de pessoas da minha nova turma tu nao te irias interessar pq nao te dizem nada, mas isso nao quer dizer q eu nao conte historias sobre nós a essas pessoas. as pessoas vão sempre desiludir-nos pq têm vontade propria, pq nao leem o nosso pensamento.

**

Cat disse...

Parece que estamos todos pro mesmo então.. :/ Ou então deixámos de ser inocentes e estamos aqui umas pessoas crescidas!

Carrie disse...

Concordo plenamente... o que interessa não é quantos amigos tens mas quantos dias e de qtas vezes que precisas deles é que eles estão lá para ti ;)

Os bons são os que ficam sempre apesar dos "apesares"


Kiss kiss