Quantos andam por aqui?

9 de junho de 2009

Sinto o meu mundo a ranger, ele dá-me sinal de que a qualquer momento se pode quebrar, fragmentar, despedaçar, ruir, arruinar, abater, partir simplesmente! Vivo numa bola de vidro, ando de um lado para o outro, de um lado para o outro e de um lado para o outro e não vou a dar a sítio nenhum. Ando por sítios já conheço melhor que a mim mesma, o ritmo é sempre o mesmo, corro para fazer tudo a horas, nada pode falhar! Já tenho dúvidas em como me manter mentalmente, é tanta pressão, tanta coisa para fazer, tão pouco tempo... Sonho com coisas que, no mínimo, são surreais, masco pastilhas que me dão um mau estar mas se as deitar fora sinto falta do seu sabor, demoro uma eternidade de tempo a responder a uma pergunta básica. Para aumentar a instabilidade sinto falta de fotografar, já lá vai mais de um mês em que não uso a Clarisse... Sinto-me como se sentiria um pintor sem telas e pinceís, um fumador sem cigarros, um cego sem o seu cão-guia, um escultor sem pedra, um humano sem razão para viver. Tirem-me tudo de uma vez, é mais fácil! Já me tiraram tempo, paciência e o juízo está a ir. Força levem tudo! Mas não me atirem com responsabilidades para cima, não ponham em mim esperanças que se calhar não vos levam a lado nenhum, não vejam em mim o que não foram e nunca iram ser.

1 comentário:

Artamidae disse...

obrigado por conseguires escrever muito do que penso...
acho que sempre vivi para responder a expectativas que não são minhas. não sei bem o que quero mas sei o que sou e do que gosto.
estás em fase de exames nacionais?
é um período difícil, a responsabilidade, ter de escolher o que supostamente vamos fazer para o resto da vida... pessoalmente, não acredito nisso, há tanta coisa para se viver...
vais ver que tudo se vai encaminhar!