Quantos andam por aqui?

11 de maio de 2009

"Eu sou má? Diz! Responde", passo a noite toda a perguntar isto, a perguntar-lhe, a perguntar-me. Lá sinto-me sufocada, as palavras saem atropelando as que vêm a seguir, nada faz sentido. Ainda me consigo lembrar do primeiro sonho - estava rodeada de pessoas, mas sentia-me sozinha, ninguém olhava para mim ou falava comigo, até que começo a chorar, a deitar tudo cá para fora e começo a perguntar sem cessar "sou má? diga-me, sou má?" e não tenho resposta, só me diz "tem calma, está tudo bem". Nada, não tenho resposta... Tento dar explicações, tentar perceber o porquê daquela pergunta, mas as razões são falsas, transparentes, não valem de nada... Quanto mais me tento explicar mais supérfluas as palavras me parecem, são como o plástico: não escondem nada, não servem, são inúteis. Acordo a meio da noite, sufocada e cansada, e pergunto baixinho, aquilo que repito sem acabar no meu sonho, à espera de alguma resposta, de que alguma coisa emerja do escuro. Sei que tudo não passa de um sonho, mas os sonhos influenciam o real...

1 comentário:

Jo. disse...

Não te acho má...nada mesmo.


"you mean a lot to me. you've got a heart of gold. you are the colour, my dear"